domingo, 1 de janeiro de 2012

Saibamos amar-nos



                                                      
       
Toda a minha vida
depende de mim,
depende da circunstância
e, até de mim,
depende a  própria circunstância.


Posso criá-la,
não recriá-la
porque irreversível
e isso é visível.
Posso vivê-la
construindo-a mais feliz,
para mim,
e para ti,
para os outros.


É projecto permanente,
consciente,
sem fim.


Na construção
de um mundo novo
posso colaborar.
Eu quero,
quero para isso trabalhar.
Para que a felicidade,
no mundo,
possa pairar!...

Isto depende de mim,
de ti,  de nós todos,
desde que,
nos saibamos amar!...
             «»

                 

Da obra - A Mensagem - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

  (Mensagem do dia de Ano Novo, dia da Paz)

2 comentários:

  1. Cara Zália,

    A vida é mesmo assim. De pequeninos aprendemos a andar, caindo, levantando, tentando novamente. A nossa atenção permanente é indispensável. Uma distracção pode ser fatal.
    Desejo um BOM ANO, Beijo
    João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ilustre Senhor A João Soares,

      Nós estamos sempre de acordo ,apenas, o que por vezes digo em determinados poemas é que não condiz com o seu pensamento e com o meu também não.

      Sei que no que digo neste poema estamos de acordo e vem ao encontro do que alega em seu comentário no poema: "O devir é imprevisível".

      É costume dizer-se:

      Não ligues ao que digo; liga ao que faço.

      Eu digo:

      Não ligue ao que escrevo... é poesia...

      O importante é pensar, refletir, e, isso eu consigo transmitir.

      Bem tento convidar o leitor à reflexão. A.João Soares responde.

      Estou-lhe grata porque é muito incentivante para mim um seu comentário.

      Beijinho,

      ZCH

      Eliminar