sábado, 28 de janeiro de 2012

NÃO POSSO ACREDITAR

























NÃO POSSO ACREDITAR
Poema de Zélia Chamusca

Não posso acreditar
No que está a acontecer,
O que eu estou a ver,
Alguma vez impensável,
Incrível,
Inimaginável!...

Inconcebível
Retrocesso,
Histórico insucesso,
Neste mundo terreal,
Inexoravelmente,
Real,
O que meu coração sente
E minha razão não mente…

Não posso acreditar,
Na Terra, por todo o lado,
Do sentimento erradicado
O verbo amar!…
         «»

Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Fonte de Imagem - Google

sábado, 21 de janeiro de 2012

A LINGUAGEM DO AMOR











Eu não sei falar de amor…

O amor é inefável,

Inexprimível por palavras,

É inexplicável…
 

Eu não sei falar de amor…

É ele que por mim fala

Pelo instrumento do meu corpo,

Dos meus olhos, da minha boca,

Dos meus lábios, do meu sexo.

Ele fala através de toda a complexidade de meu ser.

Ele me domina e só ele diz o que sabe dizer.



Em todo o meu ser

Ele se manifesta,

Me absorve todo o querer,

E me fascina,

Numa ânsia de plenitude e realização,

De comunhão,

Numa dialética de profusão

De sentimentos,

De emoções,

De paixão!...


Eu não sei falar de amor…
Ele se manifesta em mim transmitindo

A inexplicabilidade da existência

De que, ele próprio – o Amor – é:

Princípio, meio e fim

De tudo, é Essência…



Eu não sei falar de amor…

Só ele o sabe dizer

Através de todo o meu ser,

Numa expressão elevada à paroxia

E manifestação exacerbada,

Do inconsciente.


Eu não sei falar de amor…

É ele que fala por si

Na mais pura das linguagens

Do ser animal, do ser humano e de toda a criação,

A própria linguagem do - Amor.
                       «»

                                    Zélia Chamusca



Poema de - CHAMUSCA, Zélia 
IGAC - Inspeção Geral das Atividades Culturais
Registo nº. 6790/2011

Fonte de Imagem - Google



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Desceu um Anjo do Céu

 
Desceu um anjo do céu
Como um raio de luz
Que reluz
Brilhante de cor e magia
Que me encheu de alegria… 

Me seduziu
Me beijou,
Abraçou
E me atraiu!... 

Se aproximou de mim
Com encantamento
E sedução.

Partilhamos em comunhão
O prazer de longo e apertado
Abraço
De amado,
De amor puro,
Assexuado.

Era anjo... 

Comungámos dum prazer sem fim,
De carícias,
De ternura,
De sonho e fantasia,
De alegria
E plena magia…  

Desceu do céu
Para mim voou
E me encantou…
Pensei que iria ficar
Para sempre me amar…


Mas, teve que ao céu voltar…
 Poema de - CHAMUSCA, Zélia
 Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO
 Edições Vieira da Silva
 ISBN - 978-989-8545-00-8
 IGAC - 6790/2011

 

domingo, 15 de janeiro de 2012

NÃO ESQUEÇA



Não esqueça
viver a vida com paixão,
por si próprio,
pela natureza
pela arte,
pela beleza,
pela vida!.. 

Não esqueça
ser feliz,
hoje,
pois, a vida
é  breve passagem
para a outra margem
e se esvai no vento,
num breve momento... 

Não esqueça
contagiar-se
a si, a mim, aos outros,
de alegria
imensa…
sorria!...

 E, sobretudo,
não esqueça
amar-se a si,
aos outros,
amar a vida!... 

Viva e seja feliz!...

 

Da obra - PALAVRAS DA ALMA
Autora - Zélia Chamusca
Chiado Editora
Fonte de Imagem - Google

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Quero ser pedra dura






















Quero ser pedra dura, gélida e fria.
Quero afastar da natureza a ironia;
Não quero sentir, não me quero envolver,
Quero encontrar outra forma de viver.

Não quero mais sofrer esta ansiedade
Que atormenta minha alma de saudade.
Quero entrar em apática letargia;
Não quero mais da vida a poesia…

É profundo meu sentir nesta paixão.
Não quero mais lembrar, quero esquecer;
Não quero mais de amor poder sofrer.

Vivo esta paradoxal conturbação,
Que os beijos que me dás já foram meus,
Quão semelhante a ti eu sou, graças a Deus!...
                         «»

Poema de - Zélia Chamusca
Da obra - PEDAÇOS DO MEU CORAÇÃO  
Edições Vieira da Silva

 

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

TEU AMOR



             TEU AMOR  
 


  Tem teu amor a imensidão do mar,

  Eu quero nele, contigo, mergulhar

  E nas cálidas águas seu sal sentir

  O aroma dum perfumado cravo a abrir.



  Da tão grande intensidade de teu amar

  Não importa que não me possas falar

  Mas, eu quero que tu saibas em mim ver

  A pérola que tenho p’ra te oferecer.



  Oh! Amor da infinitude do Universo!

  Mata meu tão grande desejo, te peço,

  Com o intenso brilho de teu doce olhar!



  E, na imensidão dum tão largo mar

  De teu grande amor de forte intensidade

  Me une a ti para a Eternidade!...
                    «»


 Poema de -CHAMUSCA, Zélia
 Fonte de Imagem-Google

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

SOU APAIXONADA




SOU APAIXONADA



Uma conturbação de emoções

Em meu ser predomina,

Que me condiciona e domina.



É um tão forte desejo

Que pareço esvair...

Neste sentir.

Deste ensejo,

Procuro sair

Me refugiando

Numa ataraxia

De imperturbável magia.



É um arrebatamento interior,

Ânsia de ser,

De querer…

Sentir inesgotável,

Em que me canso,

E descanso.

Desejo insaciável…





Não sei… só sei que me apaixonei…



Sim, sou apaixonada…

Cansada,

Esgotada,

Insaciada.



Em vão, e em tudo, incessantemente,

Procuro o objeto do amor.

No todo disperso

E no anverso…

Onde está o amor?



Não sei…

Mas, dentro de mim, eu sei…

                   «»


Poema de - CHAMUSCA, Zélia
Fonte de Imagem - Google







segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

SOU


 

Sou no mundo a emoção,

Sou corpo e alma,

Sou gelo e calor,

Sou chispa e calma,

Sou ousadia e pudor,

Sou afecto e sou paixão!...



Sou plenitude transbordante,

Sou força e vigor,

Sou lume escaldante,

Sou esperança e amor,                                            

Sou transparência,

Exuberante abertura,

Clarividência,

Razão e loucura! …

  

Mas, se abro as portas à essência do meu ser;

Fecho-as mais pobre:

Se esvai maculada a privacidade,

Que ocupa meu espaço mais nobre.

Minha força começa a esvanecer…

E me cerro na ténue fragilidade! …



Nesta complexidade me refugio

E, paradoxalmente, me liberto:

Danço e canto, corro e salto, choro e rio!...

Mas … em vão…

Na intimidade me aperto

E me afago na solidão!...

                 «»

Poema de - CHAMUSCA, Zélia 
Fonte de Imagem - Google
Da obra - Pedaços do meu coração
Edições Vieira da Silva






domingo, 1 de janeiro de 2012

Saibamos amar-nos



                                                      
       
Toda a minha vida
depende de mim,
depende da circunstância
e, até de mim,
depende a  própria circunstância.


Posso criá-la,
não recriá-la
porque irreversível
e isso é visível.
Posso vivê-la
construindo-a mais feliz,
para mim,
e para ti,
para os outros.


É projecto permanente,
consciente,
sem fim.


Na construção
de um mundo novo
posso colaborar.
Eu quero,
quero para isso trabalhar.
Para que a felicidade,
no mundo,
possa pairar!...

Isto depende de mim,
de ti,  de nós todos,
desde que,
nos saibamos amar!...
             «»

                 

Da obra - A Mensagem - Podemos Mudar o Mundo
Chiado Editora

  (Mensagem do dia de Ano Novo, dia da Paz)