sábado, 28 de março de 2020

Quem é o Mentor?


  
           



Quem é o mentor da bomba tão potente

Que atinge todo o humano igualmente?

Quem é o mentor, inimigo invisível, tão ciente

Que no mundo contamina toda a gente?



Quem é o mentor desta calamidade

Que nos ataca sem dó nem piedade?

Quem é o mentor de tanta maldade

Que quer destruir toda a humanidade?



Quem é o mentor que gera tanto terror

Encarcerando-nos pelo temor?

Quem é o mentor de tanto sofrimento e dor?

Quem é? Quem é o mentor?

                   «»

                                      Zélia Chamusca

domingo, 22 de março de 2020

Todo o Mundo Está Em Guerra






 pessoas a sofrer

E milhares a morrer

Todo o mundo está em guerra

Está o mal sobre a Terra.



Há um demónio invisível

Que é um vírus transmissível

Vindo de mentes malignas

Almas ruins tão indignas.



São feras cruéis danadas

E de tal forma enxertadas

Num rasto de maldição

Em que tudo é destruição.

               «»

                    Zélia Chamusca

                             

domingo, 8 de março de 2020

DIA INTERNACIONAL DA MULHER


 

     Por Zélia Chamusca

Pandora foi, segundo a Mitologia Greco-romana, a primeira mulher criada por Zeus tendo sido, na tradição medieval, considerada como o símbolo de todos os males.
Pandora recebeu como prenda de casamento uma caixa, oferecida pelos deuses presentes, que na realidade, segundo consta, não foi caixa mas sim jarro.

Levada pela curiosidade, tal como qualquer de nós faria e, hoje, até mesmo não pela curiosidade mas pela nossa “praxis”, pela educação, Pandora abre o Jarro ou caixa e deixa escapar todos os males do mundo, menos a "esperança". A esperança aqui considerada como um mal da humanidade, pois  traz-nos uma ideia negativa acerca do futuro. Daqui a razão do atributo de “ O mal de todos os males”.
A razão de tal atributo ainda está a ser investigada não se sabendo ao certo a razão e a verdade do conceito negativo que foi atribuído a Pandora.

O termo Pandora significa etimologicamente "todos os dons" e, na verdade, não quer dizer que estes dons signifiquem o mal, mas sim o bem.
O que temos conhecimento é de que Pandora não aparece na arte medieval e só no Renascimento e em França,  não em Itália, ela surge com um novo conceito, o oposto que é, logicamente, mais consentâneo, verdadeiro:

A Pandora como símbolo de todos os dons, isto é, do bem, como significa o seu nome.
Muito haveria a dizer mas não há espaço neste dia internacional da mulher.

O que apenas pretendo dizer é que mudam os conceitos e a imagem da mulher como símbolo de todos os males está hoje, totalmente, posta de lado.
 A mulher de hoje, 8 de março de 2020, no século XXI é a imagem de tudo, todo o bem.

MULHER tu és:
Guerreira, lutando pelo bem, pela liberdade e pela paz;

O teu trabalho enquanto contributo para a sociedade, é duplo, triplo, quadruplo, etc, etc..
Tu fazes tudo;

Tu tens a força e a energia em tudo o que geres;
Tu és fonte de vida.

Tu és o AMOR!
MULHER continua na tua luta pela diferença porque tu és diferente, luta pelo reconhecimento da tua verdadeira imagem.

Tu, Mulher, és tudo! Ninguém mais que tu consegue ser tudo na nossa sociedade moderna e organizada do século  XXI!
ÉS MULHER!

                                                            «»

                                                                 Zélia Chamusca

                                                                   8 de Março de 2020
Fonte de imagem - Google
                 

sábado, 7 de março de 2020

Vieram de Hades à Terra



 

Vieram de Hades à Terra

os demónios invisíveis

instrumento de uma guerra

no maior crime passiveis

 

Já morreram uns milhares

de inocentes pessoas

que os demónios pelos ares

caçam como feras leoas

 

Destroem a natureza

com pandemia viral

causando tanta tristeza

por criarem tanto mal

 

Só pode ser ente insano

quem tal crime assim cometa

destruir o ser humano

e destruir o planeta.

              «»

                      Zélia Chamusca
Poema de -Zélia Chamusca
                      

sábado, 29 de fevereiro de 2020

Está negro o inverno





Está negro o dia

de inverno esfumado

como noite fria

no gelo embrulhado


Mas a natureza

toda orvalhada

tem sempre a beleza

da terra molhada


É triste o inverno

de cinzento escuro

lembra o inferno

sem chamas mas duro


Numa sociedade

de mão criminosa

há tanta maldade

em gente ruinosa


Está negro o inverno

e a alma humana

tombando no inferno

donde o fumo emana.

              «»

            Zélia Chamusca

sábado, 1 de fevereiro de 2020

O Meu Mundo




O meu mundo aqui e agora

mesmo nada tem a ver

com aquele que está lá fora

 

É algo de fantasia

mas é minha realidade

que vivo com alegria

 

É a pureza do Ser

beleza que me extasia

no meu modo de viver

 

É parcela da Verdade

que dentro de mim ficou

é da essência a realidade

 

Este Ser que me dotou

da força para o dia a dia

com Ele em diálogo estou

 

Em permanente alegria

no meu mundo aqui e agora

p’ra voltar a Ele um dia!

                 «»
      Poema de -   Zélia Chamusca 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

O Malabarismo da Palavra



Continua o malabarismo,

o malabarismo da palavra.

É só conversa fiada o que por aqui lavra.


Deitam fogo de artifício

a estoirar por todo o lado,

tantos foguetes na festa

com o êxito alcançado,

num engenho fenomenal!


E, para quê, afinal?


Dão ao pobre meio cêntimo por mês

que tiram da algibeira, não do rico,

mas sim do bolso, surripiado, do remediado.

Coitado…

Qualquer dia estás na mesma…


Depois? Depois onde irão buscar?

Não aos bolsos deles, não…

Nem aos cofres dos ricos;

Não… Também não…


Apenas restarão:

Os pobres escravos na pobreza

e os ricos encastelados na sua avareza…
                  «»

                            Zélia Chamusca